Empresa | Produtos | Portfólio | Legislação | Contactos



O movimento de massas de ar (vento) à superfície da Terra, é provocado pelo facto de as várias zonas da atmosfera serem aquecidas de forma diferente pelo Sol.
O vento foi sempre aproveitado para várias funções, tais como fazer deslocar os barcos à vela, fazer rodar moinhos para moer cereais, ou elevar água dos poços. Actualmente, o vento vem-se apresentando como uma das formas mais atractivas para produção de electricidade.
Em zonas em que a velocidade média anual do vento é superior a 6 m/s (22 km/h), pode ser possível instalar um parque eólico. Estas unidades são constituídas por uma ou mais torres equipadas com hélices - os aerogeradores - que ao rodarem com a força do vento, movimentam o gerador, que, ao girar, produz electricidade que é conduzida para os utilizadores, através da rede de distribuição. 

Em Portugal esta fonte está em desenvolvimento crescente, pois já produz cerca de 8% da electricidade consumida anualmente, esperando-se que, em 2010, aquele valor atinja 15%.  
Em Setembro de 2007, a potência instalada em parques eólicos era de 2100 MW.